No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962

No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962
No lançamento do novo Navitimer Cosmonaute, a Breitling revela o “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” original pela primeira vez desde a sua missão, em 1962

No 60.º aniversário da sua viagem a bordo da nave espacial Aurora 7, o mítico relógio com mostrador de 24 horas está programado, mais uma vez, para descolar num novo lançamento que presta homenagem à histórica missão. Para assinalar a ocasião, a Breitling apresentou publicamente, pela primeira vez desde 1962, o Cosmonaute original — e revelou a incrível história do relógio.

Na década de 1960, o Navitimer da Breitling era o indiscutível relógio para pilotos. Mas a atenção do mundo rapidamente passou das viagens aéreas para a exploração espacial — o que significava que estava discretamente em marcha um tipo de corrida espacial diferente. Desta vez, entre fabricantes de relógios, para decidir qual seria o primeiro a viajar nos pulsos dos astronautas.

O know-how da Breitling no que diz respeito a relógios de aviação catapultou a marca para a liderança nesta competição. A 24 de maio de 1962, a Breitling reivindicou oficialmente o título de “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” depois de o astronauta Scott Carpenter ter orbitado a Terra três vezes com o Navitimer Cosmonaute no pulso, durante a sua missão Mercury-Atlas 7. O relógio tinha sido um pedido pessoal de Carpenter, uma variação do emblemático relógio para pilotos que tinha encontrado nos seus dias de voo, mas com um mostrador de 24 horas, para distinguir o dia da noite no espaço.

Hoje — no 60.º aniversário dessa missão — a Breitling não só revelou o Navitimer Cosmonaute original de Carpenter, como também lançou um tributo moderno ao mesmo. Este lançamento especial está limitado a 362 exemplares, que distinguem as circum-navegações da Terra da nave espacial e o ano em que a missão fez história, assinalando aquele que foi um passo decisivo para os voos espaciais tripulados.

Georges Kern, o CEO da Breitling, diz, “Quando apresentámos o Navitimer redesenhado no início deste ano, todos perguntaram: ‘E o Cosmonaute?’” Hoje, é com entusiasmo que finalmente anuncio duas novidades Cosmonaute: a primeira apresentação pública de sempre do relógio que Scott Carpenter usou no espaço e um relógio de edição limitada do 60.º aniversário, que presta homenagem ao seu histórico predecessor.”

Um pedaço de história do espaço pela primeira vez numa apresentação pública

A 24 de maio de 1962, a cápsula espacial Aurora 7, que levava Carpenter a bordo, amarou em segurança no Atlântico cinco horas após o lançamento. A operação de resgate decorreu durante três horas, com uma exposição prolongada à água do mar, o que resultou em danos irreparáveis no Cosmonaute de Carpenter. A Breitling substituiu de imediato o relógio de Carpenter. Contudo, aquele pedaço da história espacial, corroído e desgastado, permanece nos arquivos das coleções Breitling — não restaurado e desconhecido para a maior parte das pessoas. Isto é, até hoje.

Agora, exatamente 60 anos após o seu histórico voo, esse grandioso relógio do espaço foi apresentado pela primeira vez a uma seleção de colecionadores, jornalistas e entusiastas de relógios num evento temático em Zurique, inspirado no espaço. Foi uma tarde repleta de interações animadas, coapresentada por Georges Kern e o antigo astronauta da NASA Scott Kelly, e que contou com a presença de um impressionante alinhamento de oradores convidados, onde estavam incluídos membros da família Carpenter, Gregory Breitling e o historiador e colecionador Fred Mandelbaum. Os membros do painel fizeram referência à criação do Cosmonaute, ao significado da missão de Carpenter e à forma como os dois se enquadram no contexto mais amplo do programa espacial daquela época.

Também foi apresentado um Cosmonaute que pertenceu outrora a John Glenn e que foi adquirido por Gregory Breitling em 2019, num leilão.

O relógio de 24 horas, comemorativo e renovado

O Cosmonaute é um verdadeiro Navitimer, o que significa que possui todos os traços característicos do ícone da aviação da Breitling: a régua de cálculo circular para a realização de cálculos matemáticos, o logótipo alado da Associação de Pilotos e Proprietários de Aeronaves e o trio de submostradores de cronógrafo. O que separa o Cosmonaute do resto da sua família é o mostrador de 24 horas. O Calibre manufaturado Breitling B02 foi concebido especificamente para desempenhar esta tarefa.

À primeira vista, o novo Cosmonaute é uma fiel reprodução do original, tornado intemporal com um mostrador todo preto e uma bracelete em pele de crocodilo preta ou uma bracelete em aço inoxidável de sete fileiras. Contudo, olhando mais de perto, o relógio de 41 mm com elegantes proporções está repleto de novas características. Uma delas é o bisel em platina, um toque de classe que torna esta edição  ainda mais colecionável.

Outra nova característica é o fundo de caixa em cristal de safira transparente, que permite contemplar o movimento B02 e as suas gravações especiais na ponte, desenhadas para assinalar a ocasião: as palavras “Carpenter”, “Aurora 7” e “3 orbits around the Earth”, juntamente com o nome do grupo original composto por sete astronautas selecionados para os primeiros voos espaciais tripulados da NASA, “Mercury 7”.

Apesar de outras marcas de relógios declararem terem sido as primeiras a entrar no espaço, apenas a Breitling pode autointitular-se “o primeiro relógio de pulso suíço no espaço”. O único outro relógio suíço que alcançou a órbita anteriormente foi um cronógrafo de bolso equipado com uma bracelete. O Cosmonaute, por sua vez — um relógio de pulso que foi usado no espaço e concebido de acordo com as especificações de um astronauta — preservou fielmente estas especificações na versão comercializada, em 1962. O relógio de 24 horas não só se tornou um sucesso entre colecionadores, como foi frequentemente visto nos pulsos de outros astronautas.

O Cosmonaute de hoje transporta-nos de volta às origens das viagens espaciais, na época em que a corrida estava em marcha, os riscos eram altos e cada missão era encarada como um triunfo da ingenuidade humana. Este novo relógio presta homenagem à estética do Cosmonaute original, com atualizações subtis que atuam de forma quase impercetível para conferir o seu caráter retromoderno. Como tributo final, o fundo de caixa apresenta uma gravação com a data da missão de Carpenter, “ONE OF 362”, e a frase “First Swiss wristwatch in space” (O primeiro relógio de pulso suíço no espaço).